Promoção!

Luz coada por ferros

Os relatos e textos autobiográficos que compõem este livro foram escritos durante os 18 meses de prisão (de junho de 1860 a outubro de 1861) em que a autora foi condenada pelo adultério que alegadamente cometeu com Camilo Castelo Branco, por quem estava apaixonada desde os 15 anos de idade e com quem se casaria mais tarde após a morte do seu marido. Exortando as mulheres a serem mais do que “boas governantas de casa, e boas mães de família”, esta notável obra de literatura entrelaça histórias de amor, infelicidade, infidelidade e ilusão com as próprias reflexões da escritora sobre a injustiça da vítima. A poderosa voz literária de Ana Plácido, uma famosa escritora do século XIX que ainda não recebeu o reconhecimento que tão ricamente merece, é revelada em Luz coada por ferros. Esta obra é um maravilhoso prelúdio da reflexão de Virginia Woolf sobre a emancipação da mulher, sobre a qual ela escreveu no final do século XX em Um quarto só seu.

5.95

REF: 9789899126619 Categorias: ,

Detalhes

Capa

Mole

Dimensões

140 x 210 mm

Edição

04-2023

Idioma

Português

Páginas

152

Sobre o Autor

Ana Plácido

Ana Augusta Vieira Plácido nasceu a 27 de setembro de 1831, em São Miguel de Seide, V. N. de Famalicão. Com apenas 19 anos de idade, foi obrigada a casar com o empresário Manuel Pinheiro Alves, de 43 anos de idade, que se havia emigrado para o Brasil e ali se tornara rico. Em 1856, apaixonou-se por Camilo Castelo Branco, um amor que lhe causou problemas ao ponto de o seu marido a ter colocado no Convento da Conceição em Braga. Desesperadamente, Pinheiro Alves apresentou um procedimento de adultério em 1860 devido à insistência de Ana em permanecer na companhia do seu amante. Como consequência, Ana foi presa a 6 de junho na Cadeia da Relação do Porto, entregando-se o amante a 1 de agosto. A data da libertação de réus é 16 de outubro de 1861. Depois disso, o casal mudou-se para Lisboa, mas mais tarde separaram-se por razões financeiras. Estão juntos pela primeira vez em 1863, quando nasce Jorge Camilo Castelo Branco, o seu filho. Ana Plácido, que foi influenciada por Camilo, comprometeu-se a escrever. Co-autora de muitas publicações, incluindo a Revista Contemporânea de Portugal e Brasil (1859-1865) e a Gazeta Literária do Porto. Também contribuiu com traduções, ajudou Camilo com certos textos, e dedicou-se à poesia. Nas fases iniciais da sua carreira literária, por vezes utilizava pseudónimos. Cinco anos após Camilo Castelo Branco, em 20 de Setembro de 1895, Ana faleceu.

Avaliações

Ainda não existem avaliações.

Seja o primeiro a avaliar “Luz coada por ferros”

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *