Lisboa e a Airbnb

17.00

REF: 9789898898241 Categorias: , , Etiqueta:

Sobre o Livro

Capa

Mole

Dimensões

165 x 230

Edição

06-2019

Idioma

Português

Páginas

88

Sobre o Autor

Ana Gago

Ana Gago

Geógrafa. Licenciada em Arquitetura pelo Instituto Superior Técnico e mestre em Turismo e Comunicação pelo Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa. Assistente de investigação no projeto SMARTOUR: Turismo, alojamento local e reabilitação: políticas urbanas inteligentes para um futuro sustentável. Doutoranda em Geografia no Centro de Estudos Geográficos da Universidade de Lisboa.

José Alberto Rio Fernandes

José Alberto Rio Fernandes

Nasceu a 26 de julho de 1958, em Gondomar (S. Cosme), onde vive. Licenciou-se em Geografia na Faculdade de Letras em 1980 e foi contratado no ano seguinte, ocupando o lugar de professor catedrático desde 2004, após adquirir os graus de mestre (1985), doutor (1993) e agregado (2003). Foi diretor do Departamento de Geografia, presidente do Conselho de Representante e coordenador do Centro de Estudos de Geografia e Ordenamento do Território
e do curso de doutoramento em Geografia da Universidade do Porto, desempenhando atualmente os cargos de presidente da Associação Portuguesa de Geógrafos e de editor da GOT - revista de Geografia e Ordenamento do Território. É autor de centena e meia de títulos, entre livros, capítulos e artigos científicos, contando com mais de três centenas de pequenos textos de divulgação. Foi convidado para aulas, conferências e júris em várias universidades portuguesas, espanholas, francesas, alemãs e brasileiras e participou em largas dezenas de encontros científicos, assim como em muito elevado número de palestras e debates públicos, a convite. É docente e investidor, desempenhando também funções técnicas em planos e estudos nos âmbitos da geografia urbana, do urbanismo e do planeamento e desenvolvimento do território. É colaborador regular do Jornal de Notícias, com intervenções esporádicas no Público, na RTP2 e no Porto Canal.

Luís Carvalho

Luís Carvalho

Economista. Professor Auxiliar na Faculdade de Economia da Universidade do Porto. Investigador integrado do Centro de Estudos em Geografia e Ordenamento do Território (CEGOT) na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Professor convidado na Amsterdam University of Applied Sciences (Centre of Applied Research in Economics and Business). Especialização em geografia económica e em inovação e desenvolvimento económico regional e urbano.

Pedro Chamusca

Pedro Chamusca

Geógrafo. Investigador integrado do Centro de Estudos em Geografia e Ordenamento do Território (CEGOT) na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Investigador de Pós-Doutoramento em Políticas Públicas e Coesão Territorial na Universidade de Aveiro. Especialização em geografia urbana, governança, comércio e planeamento e desenvolvimento territorial. Membro da Direção da Associação Portuguesa de Geógrafos.

Thiago Mendes

Thiago Mendes

Geógrafo. Estudante de doutoramento em Geografia na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, com especialização em geografia da saúde e geografia económica. Membro colaborador do Centro de Estudos em Geografia e Ordenamento do Território (CEGOT) onde integra o grupo Cidades e Desenvolvimento Territorial.

Passaram apenas 12 anos sobre a data em que Joe Gebbia e Brian Chesky alugaram três camas de encher (Air bed) no seu apartamento, onde providenciaram também o pequeno almoço (breakfast), assim dando origem ao conceito de airbedandbreakfast e àquela que é hoje uma das maiores empresas da economia de plataforma, a Airbnb. Com cerca de 5 milhões de propriedades em mais de 80.000 cidades de 200 países, a Airbnb transformou os lugares do mundo que dispõem dum bom aeroporto e fazem parte da lista dos que importa conhecer em 2 ou 3 dias.
Lisboa é claramente um desses lugares. Na Área Metropolitana de Lisboa (AML) e especialmente na cidade-centro, o alojamento local explodiuao longo dos últimos anos e em outubro de 2018, só a Airbnb, apresentava quase 50.000 propriedades, representando um rendimento anual de quase 300 milhões de euros. Em consequência, foi essencial para o aquecimento do negócio imobiliário e alterações urbanísticas, sociais e económicas, importantes e rápidas, muito marcadas pela concentração geográfica: a cidade de Lisboa representa 65% do Airbnb na AML e, em muitas freguesias, se todos os lugares estiverem ocupados, haverá mais visitantes que residentes, sem contar sequer com hotéis e outros alojamentos. É o caso de Madalena, São Nicolau, Santa Justa, Encarnação, Santo Estêvão, São Paulo, Sacramento, Sé, Santiago, Mártires, Castelo, São Cristóvão e São Lourenço, Santa Catarina, São José, São Miguel e Coração de Jesus. A (inegável) importância da Airbnb na compreensão de Lisboa é a razão de ser deste livro, onde se recorre a dados estatísticos fiáveis e atuais, tratados num pequeno atlas, o qual é enquadrado no contexto das mudanças da economia e da cidade, numa obra completada por pequenos textos de estudiosos do tema e da cidade e de alguns responsáveis políticos com posicionamento diverso, a que se somam imagens e cartoons.

Avaliações

Não existem opiniões ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Lisboa e a Airbnb”

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *