191, Memórias de soldado em Angola

5.00

REF: 9789898016492 Categorias: , ,

Detalhes

Capa

Mole

Dimensões

150 x 230 mm

Edição

11-2016

Idioma

Português

Páginas

288

Sobre o Autor

Onofre Varela

Onofre Varela

Nasceu no Porto em 1944 e iniciou-se no mundo do trabalho aos 13 anos como aprendiz de tipógrafo. Aos 17 era aprendiz de desenhador litográfico e estudava Pintura na Escola de Artes Decorativas Soares dos Reis, no Porto, em aulas nocturnas com o estatuto de trabalhador-estudante. Aos 20 anos, ao serviço do Exército foi enviado para a Guerra Colonial na frente norte de Angola (Dezembro de 1965 a Fevereiro de 1968). Colaborou com a revista semanal Notícia, editada em Luanda e Lisboa, fazendo banda desenhada (BD) no suplemento infantil Pica-Pau, onde, de 1966 a 1968 publicou cinco histórias: Delfim dos Bosques (uma sátira a Robin dos Bosques), Os Pés Descalços (índios e cow-boys), O Fantasma da Meia-noite e vinte (aventuras de um fantasma num castelo medieval), Tadeu & Côco (um pirata com o seu papagaio) e Golias o Trovador (acção na Roma antiga). Regressado da guerra foi criativo gráfico em litografias e agências de publicidade. Em 1973 deslocou-se a Paris e Bruxelas com uma lista de editores de BD fornecida por Vasco Granja. Avistou-se com o argumentista Claude Moliterni em Paris, e com os chefes de redacção das três principais revistas de BD franco-belgas: Tintin, Spirou e Pilote em Bruxelas. No regresso da sua infrutífera viagem trocou correspondência com Hergé. Publicou BD e/ou caricatura e cartone nos jornais: O Primeiro de Janeiro, Notícias da Tarde, O Jogo, Jornal de Notícias, O Comércio do Porto, O Olho, A Pantera, O Chato, Domingo Liberal, O Progresso de Gondomar, Soberania do Povo, O Trevim, Correio Alentejo, O Gaiense, e nas revistas Flama, Crónica Feminina, Encontro (suplemento de fim-de-semana do jornal O Comércio do Porto), Campismo e Caravanismo, Interviú (edição espanhola, no suplemento satírico A Las Barricadas), O Mundo de Aventuras e O Tripeiro. Recebeu vários prémios e menções em Portugal e no estrangeiro, e em 2012 foi homenageado no Amadora Cartoon.

Eis a(s) história(s) de um “militar que se encontrou no teatro de guerra sem ter estudado a peça nem nunca ter querido ser actor naquela companhia…”, tal como muitos dos que eram obrigados a partir e formar parte activa na Guerra Colonial, neste caso, em Angola entre 1965 e 1968. Um singular soldado que sentia estar a usar as armas do lado errado da barricada, fronteira entre a vida e a morte, e cujos episódios narra de forma ágil e realista enquanto nos descreve de forma visual todo o cenário de operações. Do embarque para Angola até à chegada a Lisboa há lugar para muitos momentos caricatos intercalados com outros de grande tensão. Uma perspectiva privilegiada que nos leva a conhecer sentimentos, questões e reflexões acerca de um acontecimento marcante da História de Portugal, sobre o qual, passado mais de meio século, alguns ainda nada conseguem exteriorizar e muitos outros não querem sequer recordar. Um documento histórico na primeira pessoa que nos relata sem traumas as suas lúcidas memórias numa conversa agradável entre amigos de sempre.

Avaliações

Ainda não existem avaliações.

Seja o primeiro a avaliar “191, Memórias de soldado em Angola”

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

nine + three =