Gaston Leroux nasceu a 6 de maio de 1868, em Paris. Quando jovem, herdou uma fortuna, valorizada já nessa altura em milhões de francos, e viveu excessivamente até ser quase tudo rapidamente gasto. Depois de deixar a escola, Leroux trabalhou como escriturário jurídico enquanto escrevia ensaios e contos no seu tempo livre. Abandonou uma carreira jurídica para se tornar jornalista e crítico de teatro em 1890, e de 1894 a 1906, navegou pelo mundo como correspondente internacional, reportando a Paris sobre várias aventuras em que participou, notavelmente a Revolução Russa de 1905. Leroux trabalhou inicialmente como crítico e repórter judicial para os jornais L’Écho de Paris e Le Matin. Depois de deixar o jornalismo para se concentrar na escrita de ficção, Leroux passou a publicar dezenas de romances. Em 1909, publicou aquela que se tornou a sua obra mais famosa, “O fantasma da Ópera” através de uma série numa revista chamada La Gaulois e a história foi mais tarde transformada num livro, com uma tradução inglesa a aparecer pela primeira vez em 1911. Leroux faleceu em 1927 em Nice, França. A sua contribuição para o romance policial e de mistério é ainda hoje reverenciada.